Teoria Fundamental de Poker

pkr-bk1[1]

A Teoria Fundamental do poker foi apresentada pelo profissional jogador David Sklansky no popular livro;” The Theory of Poker”. Ele afirma: “Cada vez que jogares uma mão de uma forma oposta a que terias jogado se conhecesses as cartas dos teus oponentes, eles ganham, e toda vez que jogares a tua mão da mesma maneira que terias jogado se conhecesses as cartas deles – entãos os teus oponentes perdem. Por outro lado, se todos os adversários jogarem como se desconhecessem totalmente as tuas cartas, ganhas, e cada vez que jogares as tuas mãos como se tivessem visto as tuas cartas, tu perdes”.

Imagina que da próxima vez que jogares Texas Hold’em, a mão inicial dos teus oponentes está virada para cima, para que possa vê-las. Se este for o caso, sabes sempre a força [php][snippet=2] das mãos dos teus adversários e, portanto, sabes sempre a aposta correcta a fazer quer seja, check, raise, call ou fold cada vez que a acção chegar a ti, e o bluff dos teus oponentes seria irrelevante para ti.

Assim, a ideia chave é tentar jogar poker o mais perfeitamente possível, mesmo sem poder ver as cartas dos outros jogadores. No esforço e na constante tentativa de perseguição desta almejada perfeição teórica está o lucro e o sucesso no poker.

Quantas mais informações, obteres do teu oponente através de leituras do seu comportamento, analisando os seus padrões de apostas, estarás mais perto da vitória e de atingir rentabilidade no poker.

Exemplo do teorema fundamental do poker:

Ambos jogadores têm € 200 fichas.

A tua mão: Js e Jh

Mão do adversário: 9s e 8h

Com o flop aparecem as três cartas: o 2s, o As e Jh

Imaginemos que és o ultimo a apostar, e o teu adversário tem que apostar € 20 para jogar e coloca mais outros € 20 no pote após o flop. Segundo a teoria fundamental podemos ver as cartas que o nosso adversário está segurando. Agora, de acordo com o teoria fundamental do poker, o que deves fazer? Bem, tens três opções possíveis.

  1. Fold (desistir do pote)

2.Call (igualar a aposta do oponente)

  1. Raise (elevar os valores apostados pelo oponente)

Fazer Fold está fora de questão, porque podes ver que tens a melhor mão. Então, ou fazes call ou um raise. A melhor acção aqui é o call, pois sabes que o teu adversário está a fazer um bluff puro, e se fizesses um raise, existiriam nesta situação poucas hipóteses de que o teu adversário fizesse um call colocando mais dinheiro no pote. No entanto, fazendo um call nós estamos dando ao nosso adversário a ideia de que o seu bluff pode resultar, aumentando as probabilidades de ele colocar mais dinheiro no turn fazendo bluff novamente. Estamos a fazer mais pela mão através do engano, assim o call tem um maior valor pois é ele que alimenta o engano do oponente e consequentemente o pote.

No entanto, se o teu adversário tivesse uma mão com potencial para dois pares, num flop diferente, definitivamente seria melhor fazer um raise do que apenas um call. Podias estar muito confiante de que o teu adversário ia fazer um call ao raise, e assim aumentarias ainda mais o valor do pote, em vez de fazer um call que funciona mais como um bluff, como fizemos no último exemplo.

Como podes ver, sabendo exactamente as 2 cartas que o teu oponente está segurando só te ajuda a fazer o jogo mais rentável possível.

Ok – Qual é o uso do teorema fundamental?

A sua finalidade é o sucesso do jogador no longo prazo: procurando que ele jogue correctamente de acordo com a suas mãos e as do adversário. No poker para além das probabilidades é importante procurar-se “ler” qual será a provável jogada dos outros jogadores, de acordo com as cartas comunitárias presentes, o pote presente, a posição em que se está na mesa, o tipo de mesa e o jogador presente.

Ao mesmo tempo, deverás fazer os possíveis para que os teus adversários não te leiam perfeitamente em todas as jogadas. Naturalmente, algumas jogadas serão mais fáceis do que outras, mas assim que dominares na perfeição a estratégia, o que te distinguirá como um jogador bom ou fantástico será o quanto serás capaz de expressar o conceito de Teoria Fundamental no teu estilo de jogo.

Nem sempre serás capaz de preencher todas as lacunas, mas está tudo bem, porque nenhum dos teus adversários também. Mas se podes construir uma melhor compreensão da maneira como eles jogam e jogares mais perto da teoria fundamental do poker do que eles fazem, vais sair por cima no final do dia.

Nota:

Há algumas excepções para a teoria fundamental em situações determinadas, conforme descrito no teorema de Morton – uma aplicação do teorema de Morton ocorre quando um jogador tiver a melhor mão, mas poderá suceder dois ou mais adversários estarem empatados. Neste caso, o jogador com a melhor mão poderia ganhar mais dinheiro apenas para o fim do jogo, caso os seus oponentes errem. Esse tipo de situação é muitas vezes referido como a “implicit collusion”. A discrepância entre os dois “teoremas” só ocorre por causa da presença de mais de um oponente. Deves sempre ter portanto em consideração que o teorema foi fundamentalmente desenvolvido para situações heads-up (um adversário), e que nem sempre se aplica em potes “multiway” (com muitos jogadores). O que posso garantir-te é que todos os grandes jogadores como Phil Ivey, têm bastante presente a importância de expressar no seu jogo a Teoria Fundamental de Poker.

 

Pot odds, implied odds e probabilidades no Poker:

Poker-Math-Pot-Odds-Hand-Odds-and-Implied-Odds-800x534[1]

A relação entre o pot odds e a probabilidade de ganhar é um dos conceitos mais importantes na estratégia de poker. O Pot odds define-se na relação entre o tamanho do pote para o tamanho da aposta que és obrigado a fazer para permanecer no pote. Por exemplo, se um jogador tem que pagar € 10 por uma chance de ganhar um pote de € 40 (não incluindo o seu call de € 10), as suas probabilidades de pote [php][snippet=2] são de 4 para 1. Para se ter uma expectativa positiva, as chances de um jogador de ganhar, devem ser melhores do que as probabilidades que este tem de arrecadar o pote. Se as chances de ganhar que o jogador tem são também de quatro-em-1 (20% de chance de ganhar), e se joga o pote de cinco vezes, o seu retorno esperado é o ponto de equilíbrio (perdendo quatro vezes e ganhando uma vez).

Implied odds (Probabilidades Implicitas):

Trata-se dum conceito mais complicado, embora relacionado com o de pot odds. As hipóteses implícitas numa mão não são baseadas no dinheiro que está no pote durante o jogo, mas no tamanho expectável do pote no final da mão. Os jogadores mais experientes socorrem-se desta modalidade probabilística para tomarem muitas das suas decisões.

O Poker vem mudando muito ao longo dos últimos 10 anos. O jogo tornou-se mais analítico em torno de um conjunto de estatísticas que são cada vez mais abrangentes, e que valem cada vez mais do que o famoso instinto do jogador. O cálculo mais utilizado agora no jogo, tanto em jogos online como em “live action” (ao vivo), é encontrar as probabilidades duma mão vencer o pote.

A fórmula para calcular as pot odds:

Ao contrário de estatísticas complicadas que são utilizadas online, como o VPIP e outras complexas formas de cálculo baseadas em percentagens, calcular as pot odds é bastante simples. O cálculo de pot odds é o seguinte:

(N º de saídas x 2 + 1 =% de acertar numa carta boa para a tua mão inicial) x (Pote + Aposta) =às Pot Odds

Parece um pouco complicado, mas depois de dominar esta fórmula qualquer jogador terá uma ligeira vantagem em fazer a melhor aposta tendo como base a informação disposta na mesa. A chave para a compreensão da fórmula é quantas cartas possíveis são deixadas no baralho que podem ajudar a tornar a tua mão interessante e a aposta máxima que deves fazer para as conseguires. Esta fórmula é maravilhosa para desenhar grandes mãos como um straight ou flush draw ou um Full House.

A vantagem desta fórmula é que ela é uma excelente ferramenta de moderação para o teu jogo quando estás jogando contra jogadores com quem nunca jogaste, seja numa mesa de principiantes ou num grande torneio de poker. O Poker é um jogo de leituras, mas com o advento do poker online a capacidade dos jogadores é testada em milhares e milhares de mesas de torneios, de salas de poker online onde se joga a dinheiro com adversários sem rosto. As probabilidades do pote são também uma ferramenta maravilhosa para jogos ao vivo onde não é possível obter estatísticas sobre o teu adversário com um clique no rato.

Exemplo de como calcular as pot odds:

É importante para a prática de calcular o pot odds realmente utilizá-lo num jogo. Sem a prática e a habilidade para se fazer esse cálculo rapidamente podes dificultar a tua eficácia em fazer a decisão correcta e pensar criticamente. Aqui está um exemplo duma situação em como podes descobrir as tuas pot odds.

Situação: Numa mesa de € 5 / € 10 (Imaginemos em euros)

 

Digamos que a tua mão é composta por Rei-Valete {kc-jh] e o flop é: um 10 de copas, uma Rainha de ouros e o 7 de Paus {qd-10h-7c] Imaginemos que antes do flop aparecer na mesa todos os jogadores apostaram e o pote tem um montante de € 50. Tu estás perseguindo uma open-ended straight draw e precisas de um Ás ou de um 9 para completar a tua sequência. Não há nenhum flush no horizonte na mesa (Cinco cartas do mesmo naipe contando já com a mão inicial). Há ainda quatro Ases e quatro 9s (os te outs para completar a sequência), possivelmente no baralho. Isto significa que tens oito outs no total. Agora deves considerar estes oito outs (saídas), e multiplicar por dois, o que perfaz 16 e adicionas mais um, terminando o primeiro cálculo, no total de 17. Isso significa que tens uma probabilidade de 17 por cento de fazer a tua mão. Esta é a primeira parte da fórmula.

Em seguida, determinas o pote, mais o custo total das apostas que te propões fazer para conquistá-lo. Neste caso, a tua aposta desejável seria de € 10 e o total do pote neste momento é de € 50, portanto, após a tua aposta no total do pote será de € 60. Agora multiplicas a percentagem de hipóteses de conseguires os teus outs (17 por cento) pelos € 60 do total do pote, o que daria um produto de 10,2, ouseja, um pouco acima da aposta de € 10. Fazendo desta aposta, uma aposta viável e rentável. Se tivesses que apostar € 20 num call a um raise prévio, o produto da multiplicação passaria a 11,9, já acima da aposta desejável. Aí a decisão estatísticamente e matematicamente correcta é o fold em vez do call. Este call jánão é rentável, pois já é probabilistícamente caro.

As Pot odds mudam naturalmente consoante as situações variam na mesa, mas compreender esta fórmula básica pode ajudar um jogador a tomar uma decisão rentável e servir de defesa rotineira no seu jogo. Normalmente funciona contra os jogadores mais novos e agressivos. Esta estratégia chave no poker não serve apenas para ganhar vantagem sobre um oponente em particular, mas para o próprio “refinamento” do teu jogo. É muito mais fácil de controlar o teu jogo e dominar as tuas acções na mesa através do entendimento das pot odds. Aliás pode mesmo ser uma ferramenta que pode fazer toda a diferença entre uma mão ser bem ou mal jogada.

123

Vamos supor que a tua mão é composta por duas espadas, e no flop aparecem duas espadas. Como determinas as tuas pot odds para fazer um flush faltando apenas sair duas cartas? (neste caso, o Turn e o River)

Bem, primeiro deves considerar o facto de que há 13 espadas no baralho todo. Destas, 13 espadas sabemos que há 4 já fora dele, porque possuis duas espadas na tua mão inicial e existem mais duas espadas no flop. Ora vamos a contas da escola elementar 2 + 2 = 4. Como há 4 espadas fora do baralho isto significa que há nove possíveis outs (Cartas favoráveis para a tua mão, de fora). Existem treze espadas no baralho subtraindo quatro espadas, chegas ao número de nove espadas por “fora”, que podem completar o teu flush.

Esta primeira etapa deve ser calculada rapidamente. Agora considera o facto de que já viste um total de 5 cartas. Nestas 5 cartas incluo as 2 cartas que estão na tua mão e as 3 que formam o flop. Duas cartas na mão + 3 cartas do flop = às 5 cartas que já conheces. Existem um total de 52 cartas no baralho. Como conheces 5 cartas sabemos que existem 47 invisíveis ao teu conhecimento. Ora, temos 52 cartas no baralho – as 5 cartas que conheces dá = às 47 cartas que não viste.

Para calcular a percentagem do teu flush, vamos ter de fazer um pouco de matemática. Pega no número de cartas que necessitas para completar o teu flush e divide pelas cartas que não podes ver. Esta é a forma de calcular sempre as tuas probabilidades no poker em relação a melhorares qualquer mão. Neste exemplo, vemos que temos 9 cartas de espadas que te darão o teu flush e que existem 47 cartas por fora. A matemática é a seguinte: 9 cartas para melhorar / 47 cartas não vistas = 19%. Estes 19% por cento são a probabilidade de fazeres o teu flush no turn. Lembra-te sempre da seguinte fórmula de probabilidades de póquer:

Cartas para melhorar a tua mão /( a dividir) pelas cartas que estão por fora( as que não podes ver) é igual = à percentagem de probabilidades de concretizares a tua mão.

Quais são as probabilidades deste flush em Texas Holdem no turn e no river? Dado que os cálculos são difíceis eu não vou entrar em muitos detalhes neste artigo, porque não podes simplesmente simplesmente multiplicar os 19% de probabilidades de fazeres a tua mão por 2 (pelas duas cartas que faltam ver). Por enquanto, vou apenas dizer-te que os 36% são falíveis, e que se multiplicares por 4 após o flop atingirás um valor mais aproximado para a probabilidade do river. Esta é uma ponderação muito mais complexa de perceberes. E esta informação, que já é muita, conduz-te quase ao fim do jogo, e jogando correctamente até este ponto, é como deves compreender, muito mais que meia vitória no pote sendo que a informação é muito simples de assimilares.

Este é apenas o começo. A matemática no poker realmente fica um pouco mais complicada do que isso, quando aprendes a calcular as implied odds combinando-as com as pot odds. Por isso, quero que domines apenas o que é necessário para começar a vencer já e com regularidade.

 

Calculando as Probabilidades Implícitas (Implied Odds) no Texas Holdem

As implied odds são simplesmente o cálculo da maneira como os teus adversários vão reagir. Por exemplo, e usando o mesmo exemplo que usamos acima acerca das pot odds, se tiveres um projecto de flush draw e há dois jogadores conservadores que te efectuaram um check, tens mais de 12% de hipóteses de ganhar o pote com uma aposta. Como o sabes? Porque neste exemplo e estudando os teus oponentes, já sabes que os 12 por cento significam; que a cada 100 vezes que tu apostas, já sabes que ganhas o pote 12 vezes a estes dois jogadores, quando jogam contra ti ao mesmo tempo. Por isso, já sabes quais as tuas probabilidades de apostar e tentar roubar o pote já aqui. Estas são as tuas probabilidades contra estes dois jogadores sempre que apostas. Agora tens de adicionar a percentagem das vezes que sempre que fizeste bluff a estes dois jogadores, costumas ganhar. Aí já terás uma maior noção se deves apostar neste momento pois o teu flush ainda não está completo. Se apostando contra estes dois jogadores ganhas 12% das vezes e como acima estudamos tens uma hipótese de realizar no turn o teu flush de 19% por cento adicionando as duas, chegas à probabilidade de 31% por cento de ganhares o pote.

Ou seja, 12% das vezes, estes adversários “foldam” quando tu apostas, somando aos 19%, que a tua mão tem de se concretizar mesmo que eles façam-te um call, obténs a percentagem de 31 por cento.Isto é, tens praticamente um terço de probabilidades de este pote já ser teu. Então o que fazer? Com estas probabilidades no poker: sem dúvida apostar! As pot odds nem sempre são tão altas, mas não te esqueças, elas raramente são tão altas para ti mas passa-se o mesmo em relação aos teus adversários.

Como podes ver os cálculos para saberes em que medida um pote pode ser teu conseguem tornar-se um pouco complexos, por isso é que o poker é um jogo para homens inteligentes e com uma mente desenvolvida. No entanto, o processo de pensamento básico; é simples. Calcula os outs que achas que formarão a tua mão, numa mão vencedora, divide pelas cartas do baralho que não consegues ver, e o resultado é a probabilidade de completares a tua mão na próxima carta.

Considerações finais sobre Poker Odds:

Há tantos pensamentos que vêm à minha mente quando penso sobre o acto de “desenhar” mãos, que não posso colocá-los todos em um artigo. No entanto vou fazer algumas observações rápidas, que eu espero que consideres, quando procurares fazer um projecto de mão no Texas Holdem.

Estuda sempre a tua mão inicial combinando-a com o flop. Tenta sempre fazer uma leitura correcta e calma da tua mão nesse momento. Tenta calcular as probabilidades da tua mão se concretizar. Que jogadores estão contigo no pote? Tenta avaliá-los, se já os avaliaste, tenta sempre combinar a sua avaliação com a tua mão e com as suas probabilidades. Considera sempre a posição em que estás na mesa quando apostas. Não confies na sorte a longo prazo. Trabalha e joga muito até que domines a estratégia do jogo sem arriscar muito dinheiro e nunca te esqueças que para os melhores, a sorte é uma conquista!…

 

Bluff – A Arte da Ilusão

bluffing-in-poker[1]

Vamos começar pelo título, o bluff não é enganar – podes enganar e ninguém acreditar, é no verdadeiro sentido a arte de iludir os teus parceiros de que tens um melhor ou pior jogo de forma a manipular o seu sentido de jogo.

Como fazer no poker

O Bluff é muito utilizado por novatos e jogadores iniciantes. Estes jogadores fazem [php][snippet=2] frequentemente grandes apostas com mãos muito fracas esperando ganhar. Eles podem funcionar numa mesa de jogadores que não te conhecem, mas uma vez conhecendo-te, muitos bluffs não funcionam.

Pode ser usado em quase qualquer situação e em qualquer mão de poker, embora eles se tornem mais e menos úteis consoante as circunstâncias.

 

É uma arma que pode ser usada quando muitos jogadores estão num pote ou quando detectas que o teu oponente joga de forma muito conservadora. Neste caso, o jogador “tight” provavelmente não vai querer igualar uma aposta muito grande a menos que tenha uma mão muito boa.

Ou seja, quando a mesa está cheia de jogadores conservadores o bluff é mais eficaz.Pode não funcionar com um monte de jogadores agressivos porque estes jogadores tendem a a apostar na maioria das mãos, de qualquer maneira, especialmente no inicio de jogo, tentando controlar o jogo com a sua agressividade.

O jogador conservador tem uma peculariedade importante, depende muito do cálculo de pot odds e outs, logo convém olhares para as cartas comunitárias e fazer  quando as cartas comunitárias realmente indicam boas probabilidades de teres uma boa mão – exemplo três cartas do mesmo naipe no flop, o jogador conservador se não tiver uma boa mão e se não for o líder de fichas na mesa muito provávelmente não vai ir a jogo.

É a arte de ilusão e não de enganar, logo a ilusão terá de se manter durante todo o espectáculo como um truque de magia. É por isso que quando ganho em que fiz  normalmente não mostro as cartas.

Bluff no River

A carta mais útil e popular para se fazer é a do river. Antes ou depois do river, podes lançar uma grande aposta na mesa e fazer os outros jogadores acreditarem que a tua mão é boa ou que acabaste de desenhar um projecto que tornou a tua mão boa.

Esta posição é também um óptimo lugar para efectuar qualquer bluff em Texas Hold ‘Em, quer seja, em relação a um jogador experiente ou inexperiente. Na posição final, o melhor lugar para se fazer um é quando todos os outros jogadores fizeram check. Este acto muitas vezes pode significar que os jogadores vão esperar até a próxima carta, até que decidam entrar na mão, e fazendo um como a última pessoa a pagar uma aposta, podes obter um pote grande que contenha todas as apostas anteriores à tua.

O bluff no Pré-Flop

Se fizeres uma grande aposta no pré-flop, com a força da tua mão inicial, e se o flop for uma desilusão para o teu jogo, podes sempre fazer um na próxima aposta. Os outros jogadores vão pensar que tens cartas na tua mão inicial fortes, e uma grande aposta vai levá-los a acreditar que o flop trouxe aquilo que estavas procurando. Este tipo de bluff pode conduzir os jogadores oponentes fora de uma mão ou de um pote rapidamente.

Embora estes métodos possam ajudar-te a ganhar em qualquer jogo de poker, sabendo especificamente os meandros do Texas Hold ‘Em, podes usar esta variedade mais popular:

Semi-Bluff

É uma aposta ou um raise com uma mão que ainda precisa de ajuda para se tornar na melhor mão na mesa. O cenário mais comum pode ser uma open ended straight draw ou possuíres quatro cartas para um flush, faltando apenas uma. Com um semi-bluff podes assumir o controlo das apostas, evitando que os teus adversários vejam cartas sem pagar. Claro que se eles não quiserem pagar e fizerem fold, o pote já é teu. A qualquer momento podes ganhar um pote a outro jogador que possuía uma melhor mão que a tua.

 

Aqui estão três cenários em que podes fazer um semi-bluff em uma mesa de € 1 / € 2 no-limit. Em cada um dos cenários estás segurando um 10s e o Ks na mão e o flop é: As, 8s Th.

Neste caso, tu tens 14 outs (dois 10, três Reis, e nove Espadas) dando-te uma boa probabilidade de ganhar o pote. Neste momento e por este preço, não podes esquecer-te que ninguém faz fold facilmente essencialmente se tiver um Ás. Um Ás com este flop é uma boa mão para o teu adversário, caso ele o possua.

Cenário Um:

Estás na primeira posição para apostar com outros cinco jogadores a jogar esta mão. Estás esperando que todos desistam para levares o pote aqui e apostas forte, mas se alguém faz call à tua aposta, tens ainda a oportunidade de melhorar a tua mão. Tens que apostar aproximadamente metade do tamanho actual do pote, para assustares a maioria dos jogadores. Isso deve ser suficiente para assustares qualquer um com um Ás e um kicker baixo ou um projecto de straight draw para fora do pote. Será contudo muito difícil fazer desistir um jogador que possua um Ás com um kicker bom ou dois pares, e tens que estar muito atento às próximas cartas que apareçam no turn e no river. Conhecer as tendências do teu oponente irá sempre a ajudar-te a tomar a decisão correcta no turn.

 

Cenário Dois:

Estás na última posição a apostar com outros dois jogadores. O primeiro a apostar fez a aposta mínima, € 1. Com uma aposta tão pequena como isso, tens que assumir o controlo para que o teu bluff resulte. Eu tenho por experiência própria o ensinamento que o jogador que faz esta aposta, tem sempre esperança que não exista um raise. Mais uma vez deves fazer um raise, pelo menos, de metade do pote actual (incluindo as apostas do teu oponente – esse dinheiro forma o pote actual). Ao fazer esse aumento as pot odds ficam a teu favor, se os te adversários estão empatados e assumes o controlo das apostas na mesa. No turn, se não receberes uma carta favorável, podes simplesmente fazer um check para ver o river. Se receberes uma espada, 10, ou o rei, os teus oponentes não saberão o quanto esta carta é perigosa para eles, uma vez que sempre estiveste interessado no pote desde o início.Depois de teres preparado esta mão durante todo o caminho, como é óbvio deves apostar. Se os teus adversários fizerem fold o pote já é teu se fizerem call não têm muitas hipóteses perante a tua mão.

Cenário Três:

Estás de novo na última posição com outros cinco jogadores. Todos os jogadores fazem check, deves então fazer um semi-bluff de metade do pote atual. O jogador à tua esquerda faz então um grande raise para retirar-te o pot odds.Neste ponto o melhor é desistires e efectuares um fold. O jogador que fez o raise, provavelmente, já fez a sua mão e estava fazendo “slow Play” tentando atrair outros para o pote. Ele não iria fazer um raise numa aposta decente como a tua a menos que já seja conhecido como uma máquina de fazer bluff.

Com um semi-bluff o dinheiro é ganho a longo prazo e é uma aposta muito mais segura do que um puro bluff (onde não tens um projecto sólido de mão). Se desenvolveres uma reputação como um jogador conservador este bluff funciona com uma base regular e resultará em alguns potes muito bons quando conseguires as cartas que precisas.

Como Detectar um Bluffer

Quando eu comecei a jogar eu li tudo o que pude encontrar. Eu joguei milhares de horas de poker. Joguei de forma conservadora e seguindo as instruções dos livros. Este sistema era bom o suficiente para vencer contra bons jogadores, mas eu não sabia porque razão sempre tinha dificuldades contra jogadores agressivos. Alguns de vocês podem ter o mesmo problema e eu finalmente descobri porque isto se sucedia comigo (com a ajuda do Sr. David Sklansky). A simples razão para isto é que é rentável fazer bluff com jogadores conservadores. Os jogadores conservadores tendem a fazer fold muitas vezes. Sendo assim, um jogador agressivo ao saber que o oponente vai fazer fold, aposta e ganha o pote. E se o conservador aposta ele faz fold pois já sabe que o jogador conservador tem algo. Tradicionalmente, o jogador antigo de torneios de poker era verdadeiramente conservador até o aparecimento de Stu Ungar, o primeiro grande jogador agressivo. A geração de grandes jogadores online é acima de tudo agressiva, embora como possas calcular, um grande jogador mistura um pouco o seu jogo de acordo com a mesa que joga naturalmente.

Se não aprecias o bluff, tens realmente que aprender a dominar o jogo e saber parar um bluff.

O meu jogo evoluiu ao ponto em que eu procurei activamente jogadores loose / agressivos. Eles são os mais rentáveis ​​para jogares se tu souberes como pará-los. Muitos deles não dominam o bluff o suficiente para vencer.

Interromper um bluff é bastante fácil, embora muitas vezes assustador se não estás preparado para isso.

  1. O mais importante é identificar os jogadores que fazem bluff demasiado frequentemente. A identificação destes jogadores na mesa é a chave para parar o bluff. Afinal, não estás interessado em parar o bluff de um jogador forte que efectua um bluff uma vez por dia. Estás simplesmente tentando impedir frequentes bluffs do mesmo jogador em potes que estás dentro e alimentando. Esta identificação não se faz na primeira jogada obviamente, a não ser que já tenhas jogado conta este jogador várias vezes.
  2. Tens que desenvolver uma reputação de que não és um jogador demasiado conservador e que desistes contra qualquer bluff, jogando só quando tens mãos boas. E a única forma de o fazeres em relação a jogadores fracos, mas super agressivos é aumentando as tuas apostas.
  3. Eu costumo restringir isso a mãos onde eu tenho alguns outs ou quando pote vale a pena: contra um jogador identificado como bluffer deves deixá-lo fazer o seu bluff, em seguida, fazes um raise que o assuste o suficiente para que ele saia do pote, se possível. Não vou tentar parar um bluff quando tenho uma mão fraca e sem perspectivas.

Os jogadores agressivos notam sempre quem faz um raise, porque é uma parte fulcral do seu jogo e em cada pote que foi identificado o bluff, deves também olhar para trás e ver quem fez raises aos bluffs.

Os jogadores agressivos costumam falir rapidamente se fazem calls aos raises baseados nos seus bluffs. A primeira vez que fizeres isso, eles esperam que tenhas uma boa mão. Na segunda vez eles vão começar a ficar desconfiados. Agora na terceira, quarta e quinta eles vão ter medo de jogar um bluff contra ti e podes começar a jogar o teu jogo sem te preocupares com eles. Neste momento, se jogam uma aposta num pote em que estás envolvido, podes ter a certeza que eles têm uma boa mão. No poker a leitura do adversário é essencial para se ter uma vantagem sobre ele.

Ocasionalmente, isto pode-se virar contra ti, especialmente quando experimentares esta técnica contra um jogador que é um bom jogador. Com isto quero dizer contra um jogador que faz bluff o número correcto de vezes (Sklansky explica-o magistralmente no The Theory of Poker). Estes jogadores só fazem bluff quando é rentável para eles a fazê-lo, ou quando têm o número correto de saídas (outs).

Fazer raise a um jogador agressivo é uma coisa difícil de se fazer. Este tipo de raise não é provavelmente uma parte do teu jogo porque não é algo que sejas capaz de usar com muita frequência. Se és um jogador tight (conservador) este aumento de aposta é a chave para bater os jogadores agressivos.

 

Quando DESISTIR (Fold)

10-5[1]

Para se jogar poker tens de compreender as diferentes situações em que deves desistir das tuas mãos.

Todos os jogadores têm várias decisões para fazer quando jogam poker, tal como escolher as cartas com que jogam, que quantidade apostar, e, sobretudo, decidir se apostam ou fazem fold. “Saber quando fazer um raise ou um call em hold’em (manter-te na mão apostando) e quando “Fold them” (desistir da mão) – é uma máxima [php][snippet=2] do poker e um conceito com que todos os jogadores lutam. No poker pode ser uma grande jogada efectuar um fold num par de Ases de mão inicial. Porque dependes sempre também da mão do oponente, como é óbvio.

Assim sendo, qual é o momento certo para desistir de uma mão? Bem, nada está definido como regra absoluta, mas a primeira situação para avaliar um hipotético fold é a análise das mãos iniciais.

Avaliando as mãos iniciais

A decisão que tens de fazer pode ser fácil ou pode ser difícil e vai depender da tua mão inicial. Muitos factores precisam ser considerados para decidir, que mãos jogar e que mãos “foldar”. Como uma boa regra de ouro, sempre tentar ter mãos iniciais que são, no mínimo, cartas emparelhadas (pares), do mesmo naipe, sequenciais (podem potenciar sequências), ou uma combinação onde elas são ligadas permitindo uma futura sequência e do mesmo naipe se possivel. Estas mãos obviamente oferecem mais garantias para um bom flop, turn ou river.

Então, como é que um jogador sabe que cartas deve “foldar”? Um jogador sabe quando efectuar um fold quando as mãos iniciais necessitam de flops milagrosos para ter uma hipótese de conquistar o pote, mãos como: Valete-5, 2-3, 4-6, e assim por diante. Todas as outras mãos poderão ser jogáveis, obviamente, estando sempre dependentes da tua posição na mesa, pot odds, e adversários.

Compreender o Flop:

Independentemente da mão de um jogador no pré-flop, se é 2-7 do mesmo naipe ou um par de ases, é o flop que começa a determinar qual das duas é mais fortes. Então o primeiro passo para um jogador saber se deve desistir da sua mão ou não, é olhar muito bem para o conteúdo do flop.

Saber ler o flop e analisar as mãos possíveis que podem ser feitas através dele, é a primeira coisa que deve ser feita após o flop. Um par de Ases asad pode ser uma grande mão com um flop composto por: Rei de copas kh-9 de ouros 9d-5 copas5h, mas pode ser uma mão um pouco assustadora com um flop com: Rei de copas kc -Rainha de copas qh-Valete de copasjh. Mesmo com um par de Ases batendo todos os pares que se possam formar num flop, um jogador oponente que tenha Ás-10 ou 10/09 já está na frente da mão, para já nem mencionar o perigo de ele poder ter feito um flush. Uma situação como esta é muito óbvia, não é recomendável lutar por este pote mesmo com um par de ases. Na leitura do flop tens de equacionar a mãos que o teu adversário pode fazer ou inclusive ter feito, bem como, as que já fizeste ou podes vir a fazer.

Uma situação não tão óbvia sucede quando um jogador tem na sua mão um kicker alto e uma outra carta média superior e após o flop ele “emparelha” a carta média superior. Por exemplo, quando um jogador tem Ás-10, e no flop sai-lhe um Rei-10-7. Um adversário pode bater o par de 10 com um par de Reis. O que faz um jogador fazer nesta situação?

Esta decisão depende de muitas situações. Se o teu oponente está em posição inicial, a tua decisão já poderá ser mais fácil. No entanto, se os papéis se invertem terás de ser tu primeiro a agir e aí já terás uma decisão muito mais difícil com esta mão e respectivo flop. É mais fácil descobrir se ele possui ou não um rei, se ele joga primeiro, pelo seu comportamento na aposta, apesar de isso não invalidar que ele aposte na mesma ou para ver o turn ou fazer um bluff para ganhar o pote já aqui.

A última coisa a salientar é a de que deves sempre determinar se o preço é justo para continuar na mão. Se alguém está apostando alto e estás na posição de re-raise, vais querer arriscar uma aposta grande numa mão que não te oferece muitas garantias de vencer o pote? Claro que não.

Quando “Foldar” a tua Mão:

É realmente uma difícil dar conselhos concretos sobre uma acção que é tão situacional.Tudo depende das cartas e não só. Nestas situações, é importante analisar o flop, os teus adversários, e quanto pode custar ir mais longe na mão. E se não estás disposto a pagar uma aposta grande, por a tua mão não ser suficientemente forte, então isso é um sinal que deves fazer fold.

É quase sempre correcta a decisão de esperar por mãos fortes para jogar. Em relação a projectos em que sabes que a tua mão só pode ser forte após o flop, para quê jogar muito em um pote onde tudo que podes fazer é esperar que a sorte apareça no turn ou no river? Quando pensas demasiado sobre o que a mão pode fazer com aquele flop, é porque as coisas não está lá muito famosas. Muitos novatos às vezes convencem-se que podem ganhar muitas mãos, que na realidade não podem, lembra-te, não há vergonha em foldar. É melhor ficar intimidado do que fazer um mau call e perderes todo o teu stack de fichas.

O Top Ten de Mãos para “Foldar”:

1.2h 7sTer uma mão inicial com as cartas 2-7 é a pior mão inicial que podes obter, pois existem quatro cartas entre elas. Uma das cartas é certamente inútil para tentares fazer uma sequência, e mesmo que estas cartas sejam do mesmo naipe, elas farão um flush muito baixo. Mesmo que possas no flop fazer um par ou mesmo dois, convenhamos que não são lá muito altos. Porque é a pior mão, alguns jogadores jogam-na para se divertir e é conhecida como “o martelo”.

2.{2h] {8d] Uma mão inicial composta pelas cartas 2-8. Continuas com os mesmos problemas descritos acima, pois continuam a ter um valor facial muito baixo e a serem muito distantes entre si.

33s {8d]- 3h 3c. O terceiro lugar para as piores mãos iniciais vai para duas mãos: 3-8, 3-7. Quando se trata das piores dez mãos iniciais, estas duas vêm empatadas em terceiro lugar. Elas são apenas um pouco melhores do que um 2-7 ou um 2-8, mas verás que todas elas têm os mesmos problemas.

  1. 2s 6cO quarto lugar das piores mãos possíveis vai para a mão que tem as cartas: 2-6. Embora, se estas duas cartas são do mesmo naipe já seja uma mão bem mais interessante. Mas constatarás que esta mão ainda não é grande coisa. Podes, claro, fazer uma linha recta (sequência), obtendo um 3, 4, e um 5, mas isso é de muito baixa probabilidade. Para além das probabilidades de alguém ter bem melhor, serem muito altas.

5.2s 9h-3d 9c-4h 9c O quinto lugar para as piores mãos iniciais, vai para as que tenham as cartas: 2-9, 3-9, 4-9. Quando recebes estas cartas, estás numa melhor posição do que nas mãos acima mencionadas, mas não por muito. O melhor que podes realmente esperar, é conseguir um par de noves, não tendo a possibilidade de efectuar uma sequência. Claro que isto no caso de elas não serem do mesmo naipe, senão e com quaisquer cartas, é sempre possível concluir um flush. Claro que este ainda será muito baixo.

6.2c 10d Na sexta posição das piores mãos iniciais está a mão composta pelas cartas: 2-10. Não se deixe enganar por um dos jogadores mais famosos de poker, Doyle Brunson. Ele ganhou dois WSOP, e um deles com esta mão. Isso é algo que apenas um verdadeiro profissional pode fazer, e as suas chances são, na maioria das vezes, muito reduzidas. Apenas os verdadeiros campeões podem jogar com uma mão destas, pois o nível de risco é muito elevado.

  1. 5h 9c A mão classificada em sétimo lugar das piores mãos possíveis contém as cartas: 5-9. Outra mão que as pessoas jogam porque é divertida, pois trata-se do famoso 9-5, o “Dolly Parton.” Se estás jogando para ganhar, não é uma boa idéia jogar estas mãos, só porque elas têm um nome engraçado. Isto é a mesma mentalidade que preside as escolhas de um cavalo vencedor para uma corrida, mas o poker é uma maratona, e não um sprint, e, a longo prazo não há dúvida de que esta mão é um perdedora estatisticamente e nunca convém perder fichas, como é óbvio.

8.4c 7h-4d 8s-5s 8c-3h 6d As mãos que ficam em oitavo lugar, têm como cartas: 4-7, 4-8, 5-8, 3-6. Estas cartas se enquadram na categoria de “foldar”, a não ser que possas ver o flop sem pagar.

  1. Ex: jc 2sA nona pior mão, sempre tem uma figura e uma carta baixa que não são do mesmo naipe, como são os casos destas duas mãos: Valete-2, Rainha-3 (sem serem do mesmo naipe). Não é uma mão desastrosa consoante o flop, mas em princípio não será suficiente para fazer a diferença.

10.Ex: ac 2s Em décimo lugar surge-nos a mão composta por um Ás – e uma carta baixa, não sendo as duas do mesmo naipe. De vez em quando, podes ganhar com esta mão, mas está nas piores das 10 mãos de partida por uma razão. Este é outro erro comum dos principiantes, por causa do ás. Ele (Ás) pode ganhar ocasionalmente, e em heads-up (jogando um para um) é uma mão muito boa, mas numa mesa com 4 ou mais jogadores, esta mão em princípio não deve ser jogada se houver um raise antes de ti.Basta um outro jogador qualquer possuir também um ás com uma carta mais alta para perderes este pote.

Estratégia geral no pós-flop:

poker-flop[1]

Depois do flop, a estratégia de jogar um “big slick” fica um pouco mais complicada. Embora uma mão inicial de ás-rei tenha um pouco de valor no pré-flop, ela está atrás de muitas mãos, até mesmo para as mãos iniciais como 02/10, quando o flop é 4-6-10.

Se pressionaste no pré-flop com o Ás-Rei e recebeste um call, realmente precisas pensar sobre o que o teu adversário (s) pode ter, e como o flop os colocou em termos de jogo.

Como jogar contra um adversário, quando o flop não te é favorável:

Estejas tu numa melhor posição ou o teu adversário em relação a ti, deves apostar ½ (metade) do pote nesta fase do jogo. Se receberes um re-raise, provavelmente é melhor [php][snippet=2] desistires. O teu oponente poderia estar fazendo “bluff”, mas viu a tua aposta no pré-flop e o teu raise como aposta no pós-flop, e ele ainda assim está disposto a ir a jogo… um claro sinal que a sua mão inicial ficou mais forte com o flop.

Mesmo se estiveres em má posição, eu continuaria a apostar metade do pote. Há sempre que manter a pressão sobre o adversário. Se o flop fosse Rainha-8-3, ele já teria mais dificuldade para decidir o que fazer.

Como jogar contra um adversário, quando o flop te é favorável:

Como atrás referi é geralmente uma boa idéia fazer uma aposta de valor de 1 / 2 (metade) do pote aqui. Às vezes vais apanhar o teu oponente a fazer bluff, mas na maioria das vezes se não fazes esta aposta só vais estar dando a hipótese de ele ver cartas sem pagar que ainda te poderão derrotar.

Estratégia Alternativa: Contra um adversário hiper agressivo fazer check pode ser uma boa ideia, porque ele pode estar a fazer “bluff” e vais ganhar mais dinheiro assim do que simplesmente apostar em fazê-lo desistir. No entanto, esta táctica deve ser usada com moderação, e geralmente não mais de uma vez por sessão. Fazê-lo muitas vezes é dar cartas gratuitas ao adversário, cartas que podem decidir vários potes a seu favor.

Como jogar contra mais de um oponente quando o flop te é favorável:

Deves sempre apostar neste caso. A aposta padrão é a metade do pote, mas dada a maior probabilidade de alguém ficar por aqui, apostar mais da metade do pote não é mal jogado. “Checkar” uma vez mais é dar a oportunidade do adversário ver cartas de forma gratuita, cartas essas que podem mudar o jogo a favor dele.

Como jogar contra mais de um oponente quando o flop não te é favorável e tinhas uma mão inicial promissora:

Este é o caso onde a maioria das pessoas perdem as suas fichas com grandes mãos iniciais, como Ás-Rei, e onde as coisas ficam um pouco complicadas. Se estás nessa posição, e todos fazem check, deves apostar 1 / 2 do pote. É porque a tua mão é provavelmente a melhor na mesa, e se não o for, saberás muito rapidamente. Se encontrares muita acção na mesa (raises) a partir de qualquer dos teus adversários, deves efectuar fold. Neste momento, e com um pote grande, o teu adversário não é susceptível de desistir facilmente.

Armadilhas a evitar quando a tua mão é uma “big slick”:

  1. Ás- Rei é uma excelente mão para fazer raise all-in, mas não para fazer call a um all in. O que faz a mão valiosa é que se fazes o raise primeiro e alguém faz call, raramente tens uma desvantagem grande. No entanto, se alguém foi all-in com uma quantidade substancial na tua frente, esta não é melhor mão para fazer call. Ganhar no Poker tem tudo a ver com ter as melhores cartas, e ter uma vantagem probabilística sobre o oponente. Fazer um call num all-in com Ás-Rei vai contra este princípio, e é uma aposta perdedora, a menos que estejas recebendo “pot odds” favoráveis.
  2. Quando és o agressor pré-flop, e o teu adversário continua a apostar contigo, fazer call é das piores jogadas de poker nesta situação. Deves efectuar um fold, se achas que teu oponente está na frente, e vai continuar a apostar. Deves fazer um raise se achas que ele vai desistir. É uma questão de intuíres o que o teu adversário vai fazer.

Considerações finais

A “BigSlick” é uma poderosa mão noTexas Hold’em. Jogá-la correctamente e aprender a evitar as armadilhas comuns que ela acarreta, faz com que extraias mais fichas dos teus adversários, com a experiência de jogar essa mão e com estes conselhos básicos encontrarás a forma de garantir resultados positivos na mesa quando ela te vier parar às mãos.